Uma semana após a realização do UTSM – Ultra Trail de São Mamede é a hora para um primeiro balanço. 1095 concorrentes inscritos, 365 em cada uma das 3 distâncias; 871 concorrentes a alinharem à partida (291 nos 100 Km, 281 nos 60 Km e 299 nos 25 Km) e 764 a conseguirem terminar as 3 corridas (236 nos 100 Km, 19% de abandonos; 234 nos 60 Km, 17% de abandonos; e 294 nos 25 Km, 2% de abandonos). Outros números: 400 voluntários, meia centena de parceiros, 6000 fitas sinalizadoras colocadas e já retiradas, 10000 refletores colocados e já retirados na sua esmagadora maioria).

Os 871 concorrentes que participaram efectivamente nos 3 eventos foram de novo quase unânimes a tecerem os mais rasgados elogios públicos à Organização, considerando mesmo que a edição deste ano suplantou ainda as precedentes que já tinham sido extraordinariamente elogiadas. Algo do muito que se disse da prova pode ser constatado na Página Social do evento.

Digno de nota a significativa participação no mais exigente dos 3 eventos, os 100 Km, que este ano não pontuava para o Campeonato Nacional, muito próximo no calendário de eventos que pontuavam para o Campeonato Nacional e a realizar-se em simultâneo com a outra distância Ultra, os 60 Km. Apesar disso registou números de participação ao nível do topo do que se verifica nos eventos nacionais de referência.

A cada concorrente que se inscreveu a Organização garantiu: Partida em ambiente fabuloso com concerto musical ao vivo integrado, dorsal com chip (2 nos 60 Km), seguimento LIVE em tempo real nos 60 Km e nos 100 Km, streaming de vídeo em direto na Arena e na maior parte dos PAC, 11 postos de apoio e controle todos eles com fornecimento rico e diversificado de alimentos e bebidas de qualidade, trilhos magníficos excepcionalmente sinalizados tendo em conta que em quase toda a extensão havia também sinalização nocturna, equipa de segurança e resgate ULSNA com meios para intervenção rápida em qualquer ponto do circuito, policiamento gratificado nalguns pontos do circuito, tratamento VIP por parte dos cerca de 400 voluntários identificados  mobilizados e pela população que aderiu de modo significativo e acompanhou a prova, massagem a preço simbólico, serviço de podologia HOLON, solo duro para pernoita 2 noites a 200 m da arena do evento, transporte para a Partida de Castelo de Vide e da Chegada em Marvão, transporte da Muda de Roupa em Marvão, Seguro de acordo com a lei, licenciamentos vários de acordo com a lei, camisola técnica de qualidade, Medalha de Finalista, 167 prémios exemplares únicos atribuídos igualmente nos 3 eventos e em todos os escalões de veteranos de acordo com os Regulamentos, evento pontuável para o UTMB (100 Km), para o Campeonato Nacional ATRP (60 Km) e inscrito no calendário da ITRA, tenda para apoio alimentar a preços populares, refeição sentado e servida a preço popular, balneários, estacionamento fácil na zona do evento, feira do trail, concerto com música ao vivo no encerramento do evento, locução profissional, serviço de transporte para a Arena dos concorrentes desistentes, Secretariado a funcionar ininterruptamente ao longo de 40 h e disponibilidade permanente para contactos e resolução de qualquer assunto desde o processo de inscrição até ao de participação e pós participação, reportagem RTP, ampla divulgação pública de álbuns fotográficos, etc, etc. Tudo funcionou quase sem falhas e estamos orgulhosos do nosso trabalho.

O balanço financeiro da Organização não é tão risonho uma vez que as receitas se resumem ao valor das inscrições pagas pelos concorrentes (incomparavelmente mais baixo que o de eventos similares no estrangeiro e mesmo mais baixo que a esmagadora maioria dos eventos com características semelhantes que se organizam em Portugal), a um apoio público de 4000 € do Município de Portalegre, a um outro de 600 € da União das Freguesias da Sé e São Lourenço. Os apoios não realizados em dinheiro permitiram a concretização de grande número das valências associadas ao evento. Ao invés a Organização tem a percepção que o impacto económico gerado pelo  evento na região foi de algum modo significativo. A questão do financiamento poderá colocar em causa a continuidade do UTSM mas estamos convictos que todos as entidades directamente e indirectamente beneficiadas com a realização do mesmo saberão tomar as medidas necessárias para que continue a realizar-se. Anunciamos mesmo o propósito de organizar a 6.ª edição no dia 20 de Maio de 2017.

Uma palavra para todos os voluntários, todos os proprietários de terrenos – a todos procuramos identificar e solicitar atempada autorização e se alguém falhou por desconhecimento nosso reiteramos o nosso pedido de desculpas – e outros parceiros com apoios em géneros e em serviços. Sem a vossa generosa e desinteressada participação o UTSM nunca seria o “monumento desportivo” em que se tornou. Bem hajam.

Finalmente a todos os sócios do ACP que meteram semanas de férias e outras formas de dedicarem à Organização do mesmo horas e horas – mais de 40 seguidas só na véspera e dia do evento – de honesto, difícil e dedicado trabalho pro bono, que fizeram rodar os vossos carros centenas de km para ir aqui e ali constantemente, que envolveram todas as vossas famílias tanto quanto vocês próprios, a certeza de que a vontade se não move montanhas pelo menos permite, no nosso caso, que coisas lindas aconteçam na “nossa montanha”, a fantástica Serra de São Mamede que tanto amamos. Bem hajam, convalesçam e regressem com nova e aguerrida vontade. Somos lobos, continuemos a uivar!

Clique e veja a reportagem para a RTP

Clique e veja os Resultados

Milhares de fotos na página social do evento

Reveja o LIVE

Fotos do Zé

Ambiente UTSM 2016
Fotos do Zé
Anúncios