Hélder Melo ultrapassou o equador do UTSF às 14 h 45 m com 6 h 40 m de prova.

Já conseguimos dois contactos com o Hélder Melo e às 14 h 51 m, com 36 Km percorridos

Hélder Melo aos 50 Km (foto de Carla Carloto)

em  6 h 40 m, seguia na primeira metade da classificação e  “a passar gente”, apesar de ir “todo empenado” e com um pé “meio torcido”, fruto de várias quedas logo no início da corrida, no rio de Frades. Apesar das mazelas Hélder Melo segue confiante que vai conseguir terminar e talvez manter a média dos 11 m/Km apesar das 4 duríssimas subidas que ainda o aguardam até atingir a Meta colocada 70 Km e um D+4100 m após a partida.  Continuaremos a tentar comunicar com o Hélder e saber novidades.

Partida do UTSF 2012 (foto Miguel Catarino)

Carla Carloto, que participou na Freitinha, 17 Km, já terá terminado mas a pouca rede na serra da Freita ainda não permitiu a confirmação.

Actualização às 16 h 29 m:

SMS do Hélder: “42, 5 Km em 8 h 10 m. Terminei agora uma subida do ******* até aos 1100 m. O cansaço começa a aparecer.”

Actualização às 17 h 52 m:

SMS da Carla: “Hélder no abastecimento dos 50 Km com cerca de 9 h 30 m de prova. Eu fiz a prova de 17 Km em 3 h 10 m.”

Actualização às 19 h 15 m:

Contacto telefónico com o Hélder: Está no PA do Km 60 a comer uma sopita. Faltam 10 Km mas que incluem duas fortes pendentes: dos 450 m aos 1050 m até aos 63 Km e depois dos 650 m aos 900 m no final. Ainda consegue correr no plano e nas descidas não muito acentuadas. Está a 2 h 45 m de cumprir aquilo que definiu no seu face como “Objectivo já a puxar pró bom demais: Chegar antes das 22h (14h de prova)”.

Actualização às 20 h 33 m:

O Hélder está a 5 Km da Meta.

Actualização às 8 h 30 m de dia 1/7:

Post do Hélder no FB: “67.67Km running activity for 13h 33m 3s @ 12m0s/Km

Passei no exame… da Freita! Dureza, dureza e mais dureza! Muito muito técnico! Quase não tenho palavras para descrever a prova e os trilhos! Só mesmo fazendo aqueles 70km é que se percebe como é possível demorar tanto tempo para concluir a prova… Mesmo assim superei as minhas expectativas! A minha melhor previsão apontava para 14h de prova, consegui cerca de 13h33, o que me deixou muito satisfeito, tendo em conta que fiz mais de dois terços da prova com um pé meio torcido e um inchaço numa canela do tamanho do joelho, resultantes de inúmeras quedas no rio Paivô e fora dele… Valeram-me os bastões! Queria só agradecer a todos os que me apoiaram durante a prova com mensagens, telefonemas e presencialmente: a minha mãe, o meu pai, a minha irmã, a minha namorada Carla, mister João Carlos Correia, Luís Pinto, Luís Maurício e muitos outros em pensamento! Obrigado!”
Anúncios