Emílio Paulino (foto CD Jerte)

Mesmo lesionado e a analgésicos para o Emílio compromissos são compromissos e às 3 da madrugada ala que se faz tarde. Lá foi com a sua Maria a caminho de Aldeanueva de la Vera para participar na mais dura corrida da Extremadura espanhola: os 25 K da Pencona, um D+ de 1348 m, partida a 614 m, ida até aos 1482 m de altitude e regresso. O Emílio já colocou no seu face o relato, sempre pitoresco, da participação: “Aldeanueva de la Vera – Mais uma “Pencona” feita! Mui durita mas ultrapassada não bem sei como…ontem à noite não conseguia correr com a virilha esquerda inflamada…mas como estava inscrito e não gosto de faltar, disse à Maria: — Olha vamos passear, depois logo se vê! Assim foi, 2 analgésicos no bucho…comi que nem um lorde, mal aqueci porque me doía a porra da virilha e lá fui no meio do peloton…coisa que eu não gosto.

A partir do 4, 5 km já em plena subida dura e pura a dor foi-se… 

então ala que se faz tarde, liguei o turbo e foi sempre a abrir com 2 quedas no meio, a cara e um joelho maltratado, consegui terminar na 16ª posição da geral e 2º veterano atrás do Perozo, com um tempo de 2:19:32s.” O espanhol Fernando Alvez, que já nos tinha representado no UTSM, voltou à carga de lobo vestido e entrou no primeiro quarto dos concorrentes.

Resultados:

16º Emílio Paulino (ACP) 2 h 19 m 50 s – 2º M50

64º Fernando Alvez (ACP) 2 h 44 m 03 s

Resultados completos.

Anúncios